.

.
Página de doutrina Batista-Calvinista. Cremos na inspiração divina, na inerrância e infalibilidade das Escrituras Sagradas; e de que Deus se manifestou em plenitude no seu Filho Amado Jesus Cristo, nosso Senhor e Salvador, o qual é a Segunda Pessoa da Tri-unidade Santa
CLIQUE, NO TÍTULO DE CADA UMA DAS POSTAGENS, PARA ACESSAR O ÁUDIO DO SERMÃO OU ESTUDO

terça-feira, 26 de agosto de 2008

O EVANGELHO DO ARREPENDIMENTO

Pr. Luiz Carlos Tibúrcio

Mateus 9.35: "E percorria Jesus todas as cidades e aldeias, ensinando nas sinagogas deles, e pregando o evangelho do reino, e curando todas as enfermidades e moléstias entre o povo".
- O Senhor Jesus Cristo veio pregar o evangelho do Reino, trazer paz e salvação ao Seu povo, reconciliar-nos com Deus através da Sua graça, por meio do arrependimento.
- Cristo veio trazer-nos as Boas Novas do Reino de Deus, e as Boas Novas do arrependimento.
- É uma tendência que temos em fixar o nosso olhar no final do versículo, e ver o ministério do Senhor como apenas o ministério de cura; mas o fato principal é que Ele veio, fundamentalmente, trazer-nos a Sua graça, o Seu perdão, a restauração e arrependimento ao pecador.
- Cristo percorria todas as cidades, ensinando nas sinagogas e pregando o Evangelho do Reino. A proclamação da Palavra de Deus é para todos os povos, e para todas as pessoas, sem distinção. Este é o anúncio que Ele tem para todos, as Boas Novas do Reino, o Evangelho do Reino.
- A Palavra é muitas vezes pregada como um convite para se chegar ao Céu: "Venha para Jesus e vá para o Céu!". Queremos o Céu porque estamos preocupados com a morte, pois sabemos que morreremos. Nós vamos morrer, não importa a hora, nem o dia. Mas no Reino do Senhor não haverá doença, nem tristeza, nem aflição, nem a morte!
- O Evangelho é pregado como um convite, da seguinte forma: "Olha venha para Jesus, pois Ele lhe dará uma morada no Céu. Aceite Jesus e viva eternamente no Céu".
- As moradas são para serem habitadas; ninguém constroe uma morada para que ela fique deserta. Por isso, o Senhor disse: "Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar" (Jo 14.1-2). Mas a pregação de Cristo e dos Seus discípulos não é uma pregação para se chegar ao Céu, mas a pregação do Evangelho é a de reconciliação com Deus, que o pecador seja restaurado.
- O Evangelho é o chamado de Deus para que o homem, o qual está morto em suas iniquidades, separado d'Ele, reconcilie-se com o seu Senhor. E para que isso aconteça é necessário que o pecador arrependa-se, e então, receba o perdão divino.
Lucas 3.8: "Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento, e não comeceis a dizer em vós mesmos: Temos Abraão por pai; porque eu vos digo que até destas pedras pode Deus suscitar filhos a Abraão".
- João o Batista está pregando o Evangelho do Reino. Os religiosos da época aproximaram-se dele dizendo-se filhos de Abraão, os filhos da promessa. Porém, João está-lhes dizendo: Não digam isso! Produzi pois frutos de arrependimento.
O Evangelho nos é dado para que consideremos em tudo a Verdade de Deus.
Lucas 5.32: "Eu não vim chamar os justos, mas, sim, os pecadores, ao arrependimento".
- Eu não sei quanto aos irmãos, mas este versículo traz um conforto ao meu coração, pois sei quem sou: um mísero pecador, imperfeito. João lhes dizia mais ou menos o seguinte: Parem de dizer o que vocês julgam ser, mas produzi frutos dignos de arrependimento. Porque a árvore boa da frutos bons, a árvore má dá frutos maus, e cada árvore se conhece pelos frutos que produz, segundo a sua natureza, e é chegada a hora de que vocês produzam um fruto: o de arrependimento.
- O Evangelho que tem sido pregado é o "venha para o Céu". Mas o Evangelho verdadeiro a ser pregado é o "reconciliai-vos com Deus e Ele se apiedará de vós".
- Cristo não veio chamar os justos, e graças a Deus por Ele ter vindo nos chamar, nós, pecadores. - O Evangelho nos diz para darmos frutos de arrependimento, não nos enganando com falsas justificativas, nem falsas promessas, acreditando que é possível obter a reconciliação com Deus, e sermos perdoados e salvos por mérito próprio.
Lucas 24.47: "E em seu nome se pregasse o arrependimento e a remissão dos pecados, em todas as nações, começando por Jerusalém".
- Arrependimento é completamente diferente de remorço ou a sensação de culpa, o medo por um castigo.
- O Senhor Jesus Cristo nos chama para algo muito maior, o qual é uma vida de relacionamento com Deus.
- Há uma obra a se realizar em nossas vidas por Deus, antes de nos reconciliarmos com Ele; uma obra que Ele produzirá em nós antes de irmos ao Céu: os frutos de arrependimento! Os quais nos mostrarão o quanto estamos distantes do Senhor; o quanto Ele é bom e compassivo; o quanto é misericordioso e longânimo para com nossos pecados e faltas.
Atos 5.31: "Deus com a sua destra o elevou a Príncipe e Salvador, para dar a Israel o arrependimento e a remissão dos pecados".
- Cristo foi elevado por Deus para dar arrependimento e a remissão dos pecados a Israel. Portanto, Deus é quem nos dá o arrependimento; é somente Ele quem nos dá o verdadeiro e genuino arrependimento.
- Enganosamente, acreditamos que somos merecedores da graça de Deus, acreditamos que somos injustiçados quando não recebemos aquilo que julgamos merecer, ou quando passamos por lutas e dificuldades, as quais igualmente julgamos não merecer.
- O Senhor veio para ser Príncipe e Salvador, e dar-nos arrependimento.
Atos 26.20: "Antes anunciei primeiramente aos que estão em Damasco e em Jerusalém, e por toda a terra da Judéia, e aos gentios, que se emendassem e se convertessem a Deus, fazendo obras dignas de arrependimento".
- O mesmo chamado que Deus tem para os judeus é o mesmo chamado que tem para os gentios; e os gentios são aqueles que não são judeus. É um só chamado para que todos se emendem, para que não insistam na prática ou práticas que desagradam e são abomináveis ao Senhor.

- Converter a Deus é voltar do caminho que nos mantém longe d'Ele. É abandonar o caminho que nos conserva em rebelião e oposição a Deus, é voltarmos para Deus, quedando-nos aos Seus pés submissos.
- Antes de habitarmos nas mansões celestiais é necessário que nos reconciliemos com o Senhor, e voltemo-nos para Ele.
- De quê eu preciso me arrepender?
2 Coríntios 7.10: "Porque a tristeza segundo Deus opera arrependimento para a salvação, da qual ninguém se arrepende; mas a tristeza do mundo opera a morte".
- É maravilhoso quando, através das Sagradas Escrituras, eu me vejo descoberto diante do Senhor, porque a tristeza segundo Deus, causada pela Sua santa Palavra, a qual revela a minha iniquidade, a minha natureza caída, os meus pecados, opera vida em mim, pela revelação do Seu Filho Amado, Jesus Cristo nosso Senhor.
- Graças a Deus pelos que se angustiam e se entristecem quando são confrontados pela Sua Palavra. Porque chegará o dia em que então veremos o fim, e, talvez, nesse dia, não será mais possível o arrependimento, mas haverá um tempo de expectativa de condenação.
- Quando descubro na Palavra a vara da correção do Senhor, sei que Ele me ama. É um conforto saber que somos corrigidos por quem nos ama, ao contrário de o sermos por quem nos odeia.
2 Timóteo 2.25: "Instruindo com mansidão os que resistem, a ver se porventura Deus lhes dará arrependimento para conhecerem a verdade".
- Quando a Palavra nos traz tristeza e temor, podemos crer que Deus está operando em nosso coração os frutos de arrependimento.
- Paulo exorta Timóteo a ensinar a Palavra de Deus com mansidão, com paciência; porque, ainda que eles estejam resistindo à Palavra, ensine-os com amor para que Deus lhes dê o arrependimento, segundo a Sua vontade santa.
- Quando sinto a tristeza do meu pecado, e clamo ao Senhor por Sua misericórdia, Deus colocará em nossos corações os frutos verdadeiros.
- Ao pregarmos o arrependimento, parece que pregamos uma mensagem triste, ledo engano, pois pregamos uma mensagem alegre, de júbilo, a qual trará a restauração de nossas vidas, e a comunhão com Deus, através do Seu perdão em Cristo nosso Senhor.
Lucas 15.7: "Digo-vos que assim haverá alegria no céu por um pecador que se arrepende, mais do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento".
- Sabe de uma coisa, o Céu é um lugar alegre, não apenas alegre, mas repleto de uma alegria verdadeira, porquanto o Céu é o lugar de perfeição.
- O salmista disse que tudo era limitado, as artes, as construções, as obras e feitos humanos, mas os mandamentos do Senhor são ilimitados, porque são perfeitos.
- Mas ainda que seja um lugar alegre, um lugar de felicidade, quando um pecador se arrepende há ainda muito mais alegria no Céu.
- Quando há um arrependimento e uma conversão verdadeira, essa pessoa está trazendo alegria ao lugar infinitamente perfeito e plenamente jubiloso.
- O salmista diz: quem é o homem para que o Senhor se lembre dele? (Sl 8.4). Podemos fazer uma analogia: quem é o homem para que Deus se alegre com ele? Mas sabemos, pela Palavra de Deus, que o Senhor se alegra com o arrependimento de um pecador.
Atos 11.18: "E, ouvindo estas coisas, apaziguaram-se, e glorificaram a Deus, dizendo: Na verdade até aos gentios deu Deus o arrependimento para a vida".
- Deus se alegra com o arrependimento do pecador, mas os cristãos também se alegram com isso.
- Há algo melhor do que o dia da nossa conversão? E ter o coração cheio da alegria de Deus? Há, sim, meus irmãos! Quando vemos alguém perdido, apartado de Deus, converter-se, dobrar os joelhos diante do Senhor e reconhecê-lO como único e suficiente salvador. Não existe alegria maior quando vemos um pecador arrependido, nascido de novo; que como nós estava sem a alegria do Céu, e agora tem a felicidade de Deus em seu coração.
- Esta é uma alegria que não pode ser comprada, nem obtida por nenhum esforço humano, mas somente ser recebida pela fé em Jesus Cristo nosso Senhor.
Romanos 2.4: "Ou desprezas tu as riquezas da sua benignidade, e paciência e longanimidade, ignorando que a benignidade de Deus te leva ao arrependimento?".
- Paulo fala firmemente que, o arrependimento é fruto da bondade de Deus. Mesmo quando transgredimos, o Senhor continua a nos alimentar, a nos dar saúde, cuidar dos nossos queridos, tudo por Sua imensa misericórdia.
- É o caso de Davi e Betseba. Confrotado pelo profeta Nathan diante do pecado de ter adulterado com Betseba, e ainda por cima, tramado e planejado a morte do marido dela, Urías, ele confessou: contra o Senhor pequei! Somente contra Ti pequei! E fiz mau à Sua vista (Sl 51.4).
- O favor de Deus nos leva ao arrependimento. Mesmo em nossas transgressões, Ele, em Sua misericórdia nos chama a um lugar de arrependimento, como fez com Davi; e como ele, nos chama ao lugar de arrependimento.
- Que bom seria se todos vivéssemos em paz. Mas, mais importante do que a paz neste mundo, é voltarmo-nos para Deus e reconciliarmo-nos com Ele, o qual nos criou, e mesmo em nossa rebeldia, tem cuidado de nós.
Voltando a Mateus 9.35:
- A primeira enfermidade e a maior moléstia que temos, a qual é necessário que Deus nos cure, é a nossa inimizade com Ele.
"Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento"!

Resumo da mensagem pregada no T.B.B., em 10.08.2008
Todos os versículos são da Almeida Corrigida e Fiel da S. B. T. B. (ACF)

Nenhum comentário: