.

.
Página de doutrina Batista-Calvinista. Cremos na inspiração divina, na inerrância e infalibilidade das Escrituras Sagradas; e de que Deus se manifestou em plenitude no seu Filho Amado Jesus Cristo, nosso Senhor e Salvador, o qual é a Segunda Pessoa da Tri-unidade Santa
CLIQUE, NO TÍTULO DE CADA UMA DAS POSTAGENS, PARA ACESSAR O ÁUDIO DO SERMÃO OU ESTUDO

terça-feira, 8 de setembro de 2020

Exposição em Judas 1-4: A salvação comum pela graça de Cristo

 



Pr. Luiz Tibúrcio


 "Os áudios estão sendo gravados em área externa à igreja (em virtude da pandemia e para cumprir as exigências sanitárias), com sons por todos os lados. Portanto, não se assuste com o barulho de buzinas, pássaros voando, crianças correndo, música ao fundo, ou outro barulho. Com a graça de Deus esperamos, em breve, retornar ao local original dos nossos cultos"

segunda-feira, 10 de agosto de 2020

Sermão em Efésios 2.7-10: Isto não vem de vós!

 




   Por Francisco Rodrigues



_____________________ 

Texto Base: 

"Para mostrar nos séculos vindouros as abundantes riquezas da sua graça pela sua benignidade para conosco em Cristo Jesus. Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie; Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas." 
____________________________


segunda-feira, 3 de agosto de 2020

Sermão em Mateus 4.17: O arrependimento humano e o perdão divino





Por Jefferson Fernandes



________________ ______ 

Texto Base: 

"Desde então começou Jesus a pregar, e a dizer: Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus."

_____________________________


terça-feira, 28 de julho de 2020

Sermão em João 5.1-9: A vida de fé





Pr. Elbert Vieira



Texto Base:


"DEPOIS disto havia uma festa entre os judeus, e Jesus subiu a Jerusalém. Ora, em Jerusalém há, próximo à porta das ovelhas, um tanque, chamado em hebreu Betesda, o qual tem cinco alpendres. Nestes jazia grande multidão de enfermos, cegos, mancos e ressecados, esperando o movimento da água. Porquanto um anjo descia em certo tempo ao tanque, e agitava a água; e o primeiro que ali descia, depois do movimento da água, sarava de qualquer enfermidade que tivesse. E estava ali um homem que, havia trinta e oito anos, se achava enfermo. E Jesus, vendo este deitado, e sabendo que estava neste estado havia muito tempo, disse-lhe: Queres ficar são? O enfermo respondeu-lhe: Senhor, não tenho homem algum que, quando a água é agitada, me ponha no tanque; mas, enquanto eu vou, desce outro antes de mim. Jesus disse-lhe: Levanta-te, toma o teu leito, e anda. Logo aquele homem ficou são; e tomou o seu leito, e andava. E aquele dia era sábado."



Áudio da Pregação: 



terça-feira, 21 de julho de 2020

Sermão em Salmos 23: O Pastor da Vida





Por Francisco Rodrigues




Texto Base: 


"O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará. Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranquilas. Refrigera a minha alma; guia-me pelas veredas da justiça, por amor do seu nome. Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam. Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos, unges a minha cabeça com óleo, o meu cálice transborda. Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na casa do Senhor por longos dias."



Áudio da Pregação:



segunda-feira, 13 de julho de 2020

Sermão em Atos 4.8-12: A Exclusividade de Cristo





Jorge F. Isah



“Então Pedro, cheio do Espírito Santo, lhes disse: Principais do povo, e vós, anciãos de Israel, Visto que hoje somos interrogados acerca do benefício feito a um homem enfermo, e do modo como foi curado, Seja conhecido de vós todos, e de todo o povo de Israel, que em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, aquele a quem vós crucificastes e a quem Deus ressuscitou dentre os mortos, em nome desse é que este está são diante de vós. Ele é a pedra que foi rejeitada por vós, os edificadores, a qual foi posta por cabeça de esquina. E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos” (Atos 4.8-12)



INTRODUÇÃO:

- Pedro e João foram presos e estavam sendo julgados pelo Sinédrio, o Tribunal Eclesiástico Judeu, por pregarem sobre Jesus, curarem um paralítico e levar multidões à conversão. 

- O objetivo dos judeus era calar os apóstolos, impedindo-os de proclamar o evangelho e curar em nome de Cristo (Atos 3.1-9). 

- O mesmo lugar onde Jesus fora escarnecido, zombado e condenado era agora o local onde Pedro e João também seriam julgados. 

- Da mesma forma que o Senhor foi perseguido, agora os seus discípulos também seriam. Confirmando o que o próprio Senhor havia falado a respeito: 

“19. Se vós fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu, mas porque não sois do mundo, antes eu vos escolhi do mundo, por isso é que o mundo vos odeia. 20. Lembrai-vos da palavra que vos disse: Não é o servo maior do que o seu senhor. Se a mim me perseguiram, também vos perseguirão a vós; se guardaram a minha palavra, também guardarão a vossa.”(João 15.19-20) 

- A promessa se cumpria na vida dos apóstolos, e também há de cumprir em nossas vidas, se somos realmente servos do Senhor e proclamamos o seu santo Evangelho. 



A FÉ QUE VEM DE CRISTO E RETORNA A ELE EM LOUVOR

- Aquele homem paralítico queria dinheiro ou comida ou roupas, ou algo que pudesse ser útil em sua subsistência. Se atentarmos para a tradição judaica, alguém que estivesse doente, tivesse uma deficiência ou fosse pobre assim o era por causa do seu pecado, e por não ser abençoado por Deus. 

- O exemplo de Jó (Jó 1.8-11) é o mais claro. Enquanto teve riqueza, gado, casa, tesouros e servos, foi um homem respeitado, estimado. Até mesmo Satanás compreendia que ele era fiel a Deus porque Deus o cobria de mimos e cuidados. Na visão de Satanás, se Deus lhe tirasse tudo, Jó não teria motivos para permanecer fiel. Em outras palavras, a fé era consequência daquilo que ele recebia, e não de Deus que a sustentava. 

- Pedro não tinha dinheiro ou bens para aquele homem, mas o que tinha, a fé em Cristo para curá-lo ele deu. Eles estavam na porta do Templo, e uma multidão, que conhecia aquele paralítico que diariamente estava ali esmolando, maravilhou-se, correndo para junto dos apóstolos. 

- Pedro, notando que estavam perplexos com o milagre, e acreditando que o poder era deles, disse: 

“12. Homens israelitas, por que vos maravilhais disto? Ou, por que olhais tanto para nós, como se por nosso próprio poder ou santidade fizéssemos andar este homem? 13. O Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó, o Deus de nossos pais, glorificou a seu filho Jesus, a quem vós entregastes e perante a face de Pilatos negastes, tendo ele determinado que fosse solto. 14. Mas vós negastes o Santo e o Justo, e pedistes que se vos desse um homem homicida. 15. E matastes o Príncipe da vida, ao qual Deus ressuscitou dentre os mortos, do que nós somos testemunhas. 16. E pela fé no seu nome fez o seu nome fortalecer a este que vedes e conheceis; sim, a fé que vem por ele, deu a este, na presença de todos vós, esta perfeita saúde.” (Grifo meu). 

- Aqui cabe um adendo: a fé não pode ser uma fé qualquer. De se crer em qualquer coisa ou feito por meio de outra pessoa. Não. A fé verdadeira é aquela depositada exclusivamente em Cristo e em seus méritos. A fé em si mesma, em outros deuses, santos ou qualquer outra coisa ou objeto, ainda que produza resultados, não é capaz de louvar e honrar o único merecedor da nossa fé: Cristo! 

- Em outras palavras, mesmo que milagres aconteçam em nome de outra pessoa ou objeto, ele não glorificará o Senhor, e, portanto, é um evento cuja origem está em Deus, mas a reputamos a outrem, tirando a glória de Deus. 

- Nesse sentido, o mesmo desprezo que os israelitas tiveram ao escolher um assassino, Barrabás, e condenarem Cristo à crucificação é reprisado. Não dar glórias a Deus pelo que somente Deus faz é desmerecê-lo. Sendo Cristo o único a nos ligar ao Pai, menosprezamos e desdenhamos dele. 



O CHAMADO AO ARREPENDIMENTO 

- Temos esta vida para nos arrepender. Não haverá qualquer chance de arrependimento após a nossa morte. Este é o momento de colocar diante de Deus todos os nossos pecados, inclusive os cometidos diretamente contra ele. Sim, há pecados cometidos diretamente contra o Senhor, e existem pecados que, mesmo não cometidos diretamente contra o Senhor, também o atingem. 

- Exemplos: 

1 – Dar honra e glória a outro deus, ou anjo, ou santo, ou a si mesmo, ou à ciência, ou à natureza, ou a qualquer outra coisa que não seja o Deus Trino, é pecado. 

2 - Furtar ou cobiçar o que não nos pertence mas está na posse de outra pessoa, é um pecado cometido diretamente contra essa pessoa, contudo, o Senhor como Legislador e Juiz é ofendido com o nosso ato, e pecamos também contra ele. Todo o pecado é contra Deus. Tanto que nos 10 mandamentos, os primeiros 5 pecados são cometidos diretamente contra Deus: p. ex. Êxodos 20.3-5a 

2¹- Os demais 5 mandamentos se referem à relação entre os homens, mas ao infringir a lei, criada pelo próprio Deus, tem por objetivo atacar a sua santidade: p. ex. Êxodos 20.12-16 

- Pedro, ao chamar o povo ao arrependimento, não o faz somente em relação aos pecados cometido uns contra os outros, mas o faz, sobretudo, pelo pecado de não honrarem a Cristo como o Filho de Deus, quebrando assim os primeiros 5 mandamentos da lei que eles diziam reverenciar e obedecer. 

“19. Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e para que venham assim os tempos do refrigério pela presença do Senhor” (Atos 3.19) 

- Portanto, arrepender-se de uma mentira ou cobiça desprezando Cristo e não lhe dando a honra devida, é o mesmo que não se arrepender. Jesus tem de ser a razão do nosso arrependimento, pois foi ele, e mais ninguém, que morreu na cruz, carregando sobre si as nossas iniquidades, os nossos pecados, todos eles, para nos levar ao Pai e fazer-nos seus filhos adotivos. 



CRISTO A PEDRA DE ESQUINA 

“Ele é a pedra que foi rejeitada por vós, os edificadores, a qual foi posta por cabeça de esquina” (v.11) 

- Pedra angular, como o próprio nome define, é a primeira pedra a ser assentada em uma construção. Ela é colocada exatamente na esquina (ou quina) entre duas paredes, formando um ângulo de 90 graus. É a partir dela que se constrói o restante do edifício. 

- Pedro está citando o Salmos 118.22. Ele afirma que os judeus, os construtores, rejeitaram a pedra de esquina, Jesus Cristo, e por isso todo o “edifício” espiritual e da fé construido não se sustentaria. Em outras palavras, ao rejeitarem Jesus como o Messias, o Filho de Deus, toda a fé judaica estava firmada em nada, ou seja, estava prestes a ruir. 

- De nada serviriam os seus sacrifícios (encerrados em 70 d.c., na destruição do Templo); o apego à lei, à salvação por obras; a tradição; seus códigos e doutrina, porque tudo se desmoronaria e viria abaixo, porque estavam fundados em mentiras e na negação de Cristo, como Senhor e Salvador. 

- Da mesma forma, muitos de nós acabam por desprezar o fundamento da fé e do relacionamento com Deus, o Pai, entregando a todo o tipo de sincretismo, sacrifícios, esforços próprios que invalidam exatamente o encontro com Deus. 

- Sem Jesus, não existe qualquer possibilidade de redenção, de aproximação de Deus; e ninguém, seja uma pessoa, uma instituição, uma religião, um amuleto, ou qualquer outra coisa, pode ligar o homem a Deus. Somente Cristo, e por meio do seu sacrifício vicário na cruz, podemos nos achegar a Deus, e sermos chamados verdadeiramente de filhos. 



CRISTO O ÚNICO NOME A SALVAR 

“E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos”(v.12) 

- Pedro reafirma os méritos de Jesus, ao novamente afirmar que em nenhum outro há salvação. A salvação é algo que não pode ser conquistada pelo homem. Ninguém pode se salvar a si mesmo por meio de boas obras, de sacrifícios, cumprindo rituais, pagando promessas, ou participando desta ou daquela igreja, desta ou daquela religião. 

- O batismo não salva. Unção com óleo não salva. Orar no alto do monte não salva. Ir à igreja não salva. Participar da ceia ou comunhão não salva. O sinal da cruz não salva. Carregar uma cruz não salva. Nem um culto ou missa fúnebre salva. Nem as bênçãos do pastor ou padre salvam. 

- Em um sentido primário, nem mesmo ler a Bíblia salva. Ela é instrumento divino para a instrução, revelando-nos a nossa condição de inimizade com Deus, os nossos pecados, e necessidade urgente de reconciliarmos com Ele. Mas ela, por si só, não salva. Se fosse assim, muitos leitores da Bíblia não estariam no inferno. 

- Apenas Jesus Cristo salva. Ele sim é o Redentor, Senhor e Justificador do homem. E é isto o que Pedro diz: 

“debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos”. 

- É urgente que você, caso creia em alguma outra maneira de salvação, reveja os seus conceitos e, à luz da Palavra de Deus, arrependa-se dos seus pecados e se coloque inteiramente nas mãos daquele que tudo fez, inclusive pagar sofrer na cruz a pena que nos era devida, quitando-a, e tornando-nos santos como Ele é santo. 

- Cristo foi quem saldou a nossa dívida; e ela não existe mais, extinguiu-se e fomos libertos da condenação e separação eterna de Deus. Não porque fiz isso ou aquilo, acreditei nisso ou naquilo, mas porque Cristo o fez em meu lugar, e agora me chamou para estar eternamente com Ele, e pregar o seu Evangelho de vida, a outros que, como eu, e você, estávamos mortos em nossos delitos e pecados. Mortos para Deus. 

- Ele é o único capaz de nos levar à vida, à vida com Deus. 



CONCLUSÃO 

- Portanto, neste momento, oro para que cada um de nós faça uma reflexão, busque em seu interior as razões pelas quais ainda não entregamos a nossa vida em suas mãos santas, puras, eternas e perfeitas. Por que resistimos, crendo que o “poder” de salvar está em nós. Por que nos iludimos com a tradição, práticas pagãs, com a ideia de sermos salvos por uma igreja ou religião, ou mesmo por outrem, seja deus, anjo ou santo, e rejeitamos a Cristo. 

Sim, quando não reconhecemos a suficiente da sua obra, depositando-a em qualquer outra coisa ou pessoa, rejeitamos o único que pode salvar, e efetivamente salva. 

Como está escrito: 

“23. Disse-lhe Jesus: Teu irmão há de ressuscitar. 24. Disse-lhe Marta: Eu sei que há de ressuscitar na ressurreição do último dia. 25. Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá; 26. E todo aquele que vive, e crê em mim, nunca irá morrer. Crês tu isto? 27. Disse-lhe ela: Sim, Senhor, creio que tu és o Cristo, o Filho de Deus, que havia de vir ao mundo.” (João 11.23-27) 

O Senhor nos capacite a crer somente nEle; e nos livre das tentações e distrações que nos afastam de uma vida plena em salvação e graça. Plena a seu serviço. Plena dEle. E plena de louvor, honra e glória somente a Ele.



terça-feira, 3 de março de 2020

Sermão em Efésios 2.8-10: A graça com que fomos amados





Jorge F. Isah








________________________ 

Efésios 2:8. Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. 9. Não vem das obras, para que ninguém se glorie; 10. Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas.
 __________________


INTRODUÇÃO

- Em 2.1-3, fala de nós, pecadores. Somos informados de que Deus vivificou os efésios, quando eles estavam mortos em ofensas e pecados.
- Paulo mostra a condição de que éramos inimigos de Deus, e estávamos afastados de sua comunhão.
- Em 2.4-7, fala de Deus, que, por ser rico em misericórdia e amor, mesmo estando mortos em ofensas e pecados, nos vivificou, ressuscitou e nos fez assentar nos lugares celestiais, por Cristo nosso Senhor.
- Agora, nos deparamos com as conclusões de Paulo sobre o assunto. Somos levados a um nível de maior entendimento da obra de redenção, e do quão inútil é o nosso esforço em alcançá-la.

SALVOS PELA GRAÇA

1) Pela graça sois salvos:

- O homem está irremediavelmente condenado: “17. Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. 18. Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus.”  (Jo.3.17-18)
- Analogia do naufrago que não pode colaborar com o seu salvamento.
- Apenas a graça salva.

2) Por meio da fé

- As pessoas se enganam achando que a fé é quantitativa, quando ela é objetiva.
- Cristo é o objeto da nossa fé.
- Ter muita fé em objetos errados (deuses, o esforço próprio, duendes, ets, etc) ainda que seja uma fé grandíssima não pode salvar, pois estão no objeto errado. Pode ser uma fé suficiente para mover os montes (lembre-se de que satanás pode aparecer como anjo de luz e fazer muitos prodígios [2Co 11.14]), mas não será para salvar quem crê nessas distrações ou armadilhas.
- A fé tem de ser em Cristo e somente nele. É o que Pedro diz em Atos 4.12
E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos.”
- Justiça apenas em Cristo: 
Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus. 25. Ao qual Deus propôs para propiciação pela fé no seu sangue, para demonstrar a sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos, sob a paciência de Deus; 26. Para demonstração da sua justiça neste tempo presente, para que ele seja justo e justificador daquele que tem fé em Jesus” (Rm 3.24-26)

3) Não vem vós e das obras

- As obras não justificam:
 1. QUE diremos, pois, ter alcançado Abraão, nosso pai segundo a carne? 2. Porque, se Abraão foi justificado pelas obras, tem de que se gloriar, mas não diante de Deus. 3. Pois, que diz a Escritura? Creu Abraão em Deus, e isso lhe foi imputado como justiça. 4. Ora, àquele que faz qualquer obra não lhe é imputado o galardão segundo a graça, mas segundo a dívida. 5. Mas, àquele que não pratica, mas crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é imputada como justiça. (Rm 4.1-5)

- A glória é somente de Deus, não do homem: 
28. E Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são, para aniquilar as que são; 29. Para que nenhuma carne se glorie perante ele. 30. Mas vós sois dele, em Jesus Cristo, o qual para nós foi feito por Deus sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção; 31. Para que, como está escrito: Aquele que se gloria glorie-se no Senhor.  (1Co 1.30-31)

- Gálatas 2.16: “ Sabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo, temos também crido em Cristo Jesus, para sermos justificados pela fé em Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada” (Pelas obras da lei nenhuma carne será justificada).

4) Dom de Deus

- Tanto a graça como a fé são dons de Deus derramados sobre os pecadores. Mas antes é necessário que Deus leve o pecador aos pés de Cristo
44. Ninguém pode vir a mim, se o Pai que me enviou o não trouxer; e eu o ressuscitarei no último dia... 65. E dizia: Por isso eu vos disse que ninguém pode vir a mim, se por meu Pai não lhe for concedido. (João 6.44, 65)

- Pode parecer que é uma iniciativa humana, mas não é. Antes é o Pai quem leva-nos aos pés do Filho, tirando-nos a venda, abrindo-nos os olhos, renovando o nosso espírito para então, somente então, crermos que ele é o único Senhor e Salvador.

- A relação do Pai e do Filho quanto à salvação: (João 12.44-46).

- Conhecer a Cristo não é um conhecimento apenas histórico, bibliográfico, mas um relacionamento, comunhão, intimidade. Algo que Paulo sentiu e também podemos sentir, como ele descreve em Gálatas 2.20: 
20. Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim”.


CRIADOS EM CRISTO

- Nascidos em Adão, para uma vida afastada de Deus, fomos “recriados” em Cristo, para uma vida de comunhão e união e serviço a Deus.
- Qual o fim de tudo isso? As obras.
- Elas não são a causa da salvação, mas a consequência da salvação.
- Porque somos salvos, somos capazes de produzir boas obras.
- E isso é possível porque fomos criados em Cristo para as boas obras.
- É algo possível apenas depois da regeneração e novo nascimento.
- Tiago 2.14-26 (ler o texto e comentar).


Que a graça e o amor de Deus estejam em nós, e sobre nós, para sempre!