.

.
Página de doutrina Batista-Calvinista. Cremos na inspiração divina, na inerrância e infalibilidade das Escrituras Sagradas; e de que Deus se manifestou em plenitude no seu Filho Amado Jesus Cristo, nosso Senhor e Salvador, o qual é a Segunda Pessoa da Tri-unidade Santa
CLIQUE, NO TÍTULO DE CADA UMA DAS POSTAGENS, PARA ACESSAR O ÁUDIO DO SERMÃO OU ESTUDO

domingo, 11 de janeiro de 2009

FONTE DE VIDA











Pr. Júlio César de Salles

O texto introdutório de hoje está em Lucas 2.14:
"Glória a Deus nas alturas, Paz na terra, boa vontade para com os homens".
- Há uma tradução errônea que diz: "Paz na terra aos homens de boa vontade". Mas sabemos que não existe boa vontade nos homens, porque somos totalmente pecadores, e graças a Deus por não utilizarmos em nossa igreja essa tradução. Portanto, "paz na terra, boa vontade para com os homens", e não "aos homens de boa vontade".
- O homem é mal por natureza e definição. Então não é possível que ele tenha, inerente a si, boa vontade.
- O homem está morto em seus delitos e pecados. Está na pior situação possível, afastado de Deus, morto, perdido, em condenação eterna, e escravo de satanás.
- Infelizmente, as pessoas têm buscado em si mesmas algo que as transforme e torne-as em boas pessoas; seja na auto-ajuda, no esoterismo, em terapias... De certa forma, elas têm tentado ser melhores, mas, contrariamente a tudo o que o mundo nos diz e nos quer fazer acreditar, Deus revela-nos a nossa natureza tal qual ela é, em sua essência: o homem é mal, depravado, ímpio.

Então, iremos agora ao texto principal que está em João 4.1, onde lemos sobre uma pessoa que desejava mudar a si mesma pelas próprias forças, pela própria "boa vontade":
João 4.1: "E quando o Senhor entendeu que os fariseus tinham ouvido que Jesus fazia e batizava mais discípulos do que João (ainda que Jesus mesmo não batizava, mas os seus discípulos), deixou a Judéia, e foi outra vez para a Galiléia".
- Jesus deixou a Judéia e partiu para a Galiléia. Havia dois caminhos: Um que passava ao largo, por fora de Samaria, e outro que cortava por dentro de Samaria. Sabemos que os judeus não se davam bem com os samaritanos; porém, Jesus decide passar por dentro de Samaria, optando pelo caminho retilíneo ao invés daquele pelo qual teria de dar volta, traçar uma curva.
- No versículo 4, há a declaração fantástica do apóstolo João: "E era-lhe necessário passar por Samaria".
- Antes de sair da Judéia, antes da fundação do mundo, o Senhor já tinha um encontro marcado com a samaritana.

V. 5: "Foi, pois, a uma cidade de Samaria, chamada Sicar, junto da herdade que Jacó tinha dado a seu filho José".
- Os samaritanos também não se davam bem com os judeus, e sabemos que isso se deve ao cativeiro de Israel pelos assírios no ano 732, quando foram para o norte, e ali, os judeus se misturaram através do casamento misto em Samaria (Ed 7).
- Os samaritanos criam somente nos cinco primeiros livros da Bíblia, o Pentateuco. Eles esperavam o Messias que instituiria o Seu Reino não sobre o monte Sião, mas sobre o monte de Gerizim, onde eles tinham um templo, o qual foi invadido pela idolatria, pelas imagens de Baal à època do rei Acabe; portanto, havia uma disputa entre eles e os judeus.
- Havia muitos poços em Samaria e, na Bíblia, decisões importantes eram tomadas próximas a fontes d'água. Em Genesis 24.11, Abraão procura uma noiva para Isaque: "E fez ajoelhar os camelos fora da cidade, junto a um poço de água, pela tarde, ao tempo que as moças saíam a tirar água".

Gênesis 29.1: "Então pôs-se Jacó a caminho e foi à terra do povo do oriente; E olhou, e eis um poço no campo, e eis três rebanhos de ovelhas que estavam deitados junto a ele; porque daquele poço davam de beber aos rebanhos; e havia uma grande pedra sobre a boca do poço".
- Esse poço de Jacó é o mesmo poço da história de João.

Êxodo 2.15: "Ouvindo, pois, Faraó este caso, procurou matar a Moisés; mas Moisés fugiu de diante da face de Faraó, e habitou na terra de Midiã, e assentou-se junto a um poço".
- Moíses matara um egípcio que ferira um judeu, escondendo o seu corpo na areia (v. 11-12).
- Poço na palavra de Deus significa muitas vezes um lugar de encontro.

Ezequiel 1.1: "E aconteceu no trigésimo ano, no quarto mês, no quinto dia do mês, que estando eu no meio dos cativos, junto ao rio Quebar, se abriram os céus, e eu tive visões de Deus".
- Ezequiel recebeu o chamado de Deus junto a grandes águas.
Ezequiel 3.15: "E fui a Tel-Abibe, aos do cativeiro, que moravam junto ao rio Quebar, e eu morava onde eles moravam; e fiquei ali sete dias, pasmado no meio deles".

Daniel 8.1: "No ano terceiro do reinado do rei Belsazar apareceu-me uma visão, a mim, Daniel, depois daquela que me apareceu no princípio. E vi na visão; e sucedeu que, quando vi, eu estava na cidadela de Susã, na província de Elão; vi, pois, na visão, que eu estava junto ao rio Ulai".
Daniel 10.4: "E no dia vinte e quatro do primeiro mês eu estava à borda do grande rio Hidequel".
- Não foi por acaso que Daniel teve visões ao lado de grandes águas.
- E também não foi por acaso que, debaixo da providência de Deus, o Senhor Jesus marcara o encontro com a samaritana ao lado do poço de Jacó.
Voltando a João 4...
- O Senhor Jesus Cristo quebra todos os tipos de barreiras sociais, religiosas e etnicas.

Versículo 6: "E estava ali a fonte de Jacó. Jesus, pois, cansado do caminho, assentou-se assim junto da fonte. Era isto quase à hora sexta. Veio uma mulher de Samaria tirar água. Disse-lhe Jesus: Dá-me de beber".
- É maravilhoso como o Senhor Jesus é quem vai de encontro à mulher, e diz-lhe: "Dá-me de beber".
- Os discípulos de Jesus haviam ido comprar comida (v.8), e Ele ficara sozinho com a mulher, depois de uma longa viagem.

Versículo 9: "Disse-lhe, pois, a mulher samaritana: Como, sendo tu judeu, me pedes de beber a mim, que sou mulher samaritana? (porque os judeus não se comunicam com os samaritanos). Jesus respondeu, e disse-lhe: Se tu conheceras o dom de Deus, e quem é o que te diz: Dá-me de beber, tu lhe pedirias, e ele te daria água viva".
- O apóstolo João utiliza duas palavras no original que em muito nos auxiliará o entendimento e o sentido do texto.

Versículo 11: "Disse-lhe a mulher: Senhor, tu não tens com que a tirar, e o poço é fundo; onde, pois, tens a água viva? És tu maior do que o nosso pai Jacó, que nos deu o poço, bebendo ele próprio dele, e os seus filhos, e o seu gado?".
- João utiliza a palavra "therear", que significa um poço de água parada, de água comum, um poço de provisão, uma água pobre, uma cisterna rota; uma tentativa de um esforço pobre.
- Ao me deparar com essa palavra e sua definição, o meu coração se encheu de gozo, de contentamento, por perceber como Deus cuida de todos os detalhes, e tudo em Sua santa palavra tem um propósito definido e claro.
Versículo 14: "Jesus respondeu, e disse-lhe: Qualquer que beber desta água tornará a ter sede; Mas aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede, porque a água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água que salte para a vida eterna".
- Aqui João usa a palavra "pegê" que tem o significado de fonte, água corrente, fartura de água, e não de um poço de água parada.
- A provisão humana é como a cisterna rota, porém, Jesus é a fonte de água viva.

João 7.38: "Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu ventre".
- Não é um poço qualquer, mas o rio de água viva.
- A mulher estava falando de poços rasos, de uma provisão humana insuficiente, incapaz de saciá-la, porém, Jesus falava de uma fonte de água viva, inesgotável, capaz de saciar eternamente a todo aquele que dela beber.

Gênesis 16.7: "E o anjo do Senhor a achou junto a uma fonte de água no deserto, junto à fonte no caminho de Sur".
- Aqui encontramos a mesma palavra que o Senhor Jesus usou pegê, e não therear.

Isaiás 12.3: "E vós com alegria tirareis águas das fontes da salvação".
- Jesus é a fonte divina da salvação; completamente diferente do esforço humano de se salvar, o qual é incapaz de salvar o homem.

Isaías 30.23: "Então te dará chuva sobre a tua semente, com que semeares a terra, como também pão da novidade da terra; e esta será fértil e cheia; naquele dia o teu gado pastará em largos pastos".

V. 25: "E em todo o monte alto, e em todo o outeiro levantado, haverá ribeiros e correntes de águas, no dia da grande matança, quando caírem as torres".

Isaías 41.18: "Abrirei rios em lugares altos, e fontes no meio dos vales; tornarei o deserto em lagos de águas, e a terra seca em mananciais de água".
49.10: "Nunca terão fome, nem sede, nem o calor, nem o sol os afligirá; porque o que se compadece deles os guiará e os levará mansamente aos mananciais das águas".

55.1: "Ó vós, todos os que tendes sede, vinde às águas, e os que não tendes dinheiro, vinde, comprai, e comei; sim, vinde, comprai, sem dinheiro e sem preço, vinho e leite".

Sl 36.8: "Eles se fartarão da gordura da tua casa, e os farás beber da corrente das tuas delícias; porque em ti está o manancial da vida; na tua luz veremos a luz".
- Em todas estas passagens não vemos a ação humana, como a de cavar uma cisterna de água salobra, inútil, um esforço decorrente da depravação e incapacidade humana, mas o agir soberano de Deus, o qual resultará exatamente no cumprimento de toda a Sua vontade, uma vontade plena, perfeita, irretocável e farta .

Jr 2.13: "Porque o meu povo fez duas maldades: a mim me deixaram, o manancial de águas vivas, e cavaram cisternas, cisternas rotas, que não retêm águas".
- Aqui, o próprio Deus se refere aos esforços humanos como algo inútil, improdutivo, fracassado; e esse homem desprezou a Deus, o manancial de águas vivas, para cavar suas cisternas rotas, numa tentativa frustrada.
- Há também o caso de José que foi lançado numa cisterna, revelando o pecado e a maldade que havia nos corações dos seus irmãos.

João 4.11:
- Aquela mulher samaritana está dizendo: "Senhor, já tentei de tudo e a minha vida nunca melhorou.
- Ao questionamento da mulher Jesus respondeu: "Qualquer que beber desta água tornará a ter sede; mas aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede, porque a água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água que salte para a vida eterna".
- Graças a Deus que Cristo fez de nós uma fonte de água viva!

V. 15: "Disse-lhe a mulher: Senhor, dá-me dessa água, para que não mais tenha sede, e não venha aqui tirá-la".
- A mulher faz uma nova tentativa.
- Interessante como tantas pessoas desejam desta água, porém, furando o poço próprio, buscando-a com o esforço próprio, pelos seus próprios meios, sem abrir mão do pecado, mantendo-se em rebeldia contra Deus.

V. 16:"Disse-lhe Jesus: Vai, chama o teu marido, e vem cá".
- Cristo tocou no âmago daquela mulher: o pecado do qual ela não queria e podia se livrar.
V. 17: "A mulher respondeu, e disse: Não tenho marido. Disse-lhe Jesus: Disseste bem: Não tenho marido; Porque tiveste cinco maridos, e o que agora tens não é teu marido; isto disseste com verdade".
- A tentativa frustrada de mudar a vida convivendo com o pecado, as águas rasas e imundas na qual aquela mulher se debatia esterilmente.

V. 19: "Disse-lhe a mulher: Senhor, vejo que és profeta".
- Ela tenta se esquivar da afirmação que Jesus lhe faz com uma conversa intelectual, desviando o foco daquilo que Cristo lhe mostrara: o pecado.

V. 20: "Nossos pais adoraram neste monte, e vós dizeis que é em Jerusalém o lugar onde se deve adorar".
- A mulher continua com a tentativa de desviar o foco, de polemizar com Jesus; sabendo-o judeu, busca uma forma de desviar-se do que a consome e impede de aproximar-se de Deus.
- Porém, Cristo não entra no seu jogo, não trava uma discussão espirituosa com a samaritana.

V. 21: "Disse-lhe Jesus: Mulher, crê-me que a hora vem, em que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis o Pai. Vós adorais o que não sabeis; nós adoramos o que sabemos porque a salvação vem dos judeus. Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade".
- Jesus chamou a samaritana para sair do poço raso e salubre.
- Chamou-a para águas profundas.
- Chamou-a ao arrependimento, apontando o pecado dela.
- Adorar a Deus em espírito e verdade é reconhecer que a nossa provisão é inútil; que o nosso esforço é estéril; é reconhecer o Senhorio de Cristo e a provisão eterna que Ele nos dá, pois a água é vida, e a palavra de Deus afirma que o Senhor Jesus é a única fonte de vida eterna.
- E de que podemos contar com o Salvador maravilhoso, que se compadece das Suas ovelhas, suprindo-as com o dom eterno da salvação.

V. 26: "A mulher disse-lhe: Eu sei que o Messias (que se chama o Cristo) vem; quando ele vier, nos anunciará tudo. Jesus disse-lhe: Eu o sou, eu que falo contigo".
- Jesus disse à samaritana o mesmo que disse a Moíses: Eu sou! Esta afirmação contempla a divindade do Senhor, e a nossa segurança e esperança de que somos fontes transbordantes de água viva eternamente.

Resumo da mensagem pregada no TBB: Janeiro de 2009.Todos os versículos da Almeida Corrigida e Fiel da SBTB(ACF)

Nenhum comentário: